A cultura indígena deslegitimada no teatro brasileiro

Por Nana Medeiros

“O teatro nasceu no Brasil como uma ferramenta de extermínio de culturas. Desde o século XVI, autores que escreviam sobre os índios já expunham informações ficcionais e distanciadas da realidade indígena como uma estratégia para ‘desaculturar’ as tribos”, afirmou o ambientalista e escritor Kaká Werá, na palestra “Teatro e Resistência” realizada no Centro Internacional de Teatro Ecum (CIT –ECUM) como parte do evento “Tradição e Contemporaneidade –dissonâncias e polifonias”.  De origem caiapó, Kaká mantém há muito tempo uma estreita relação com aldeias guarani, principalmente com os guaranis residentes em São Paulo.

As raízes de Kaká com a cultura indígena permitiram a ele perceber que os valores, as formas de relacionamento e a visão de mundo não são compartilhadas com os “não-índios”. Isso por que os ensinamentos e a luta indígena foram sendo destituídos e deslegitimados desde a chegada dos colonizadores e essa distorção foi sendo ampliada a cada década, criando estereótipos e um imaginário popular equivocado.

Kaká Werá. Fonte: CIT- Ecum

Kaká Werá. Fonte: CIT- Ecum

Ele explicou que, no século XVI, o teatro era usado como um instrumento de catequização, sendo que personalidades importantes da história indígena eram transformadas em personagens perversos, desvalorizando divindades da natureza, líderes e heróis da cultura indígena. As peças, encenadas por crianças e adolescentes da própria comunidade serviam como mais uma estratégia de dominação.

Hoje, devido à iniciativa de pessoas como Kaká, o teatro serve para descaracterizar a ideia de que o índio é um ser primitivo e desinteressante. Nesse sentido, o teatro pode ser um modo de correção e sensibilização de visões e percepções, permitindo à sociedade compreender melhor a si mesma.

Como disse o palestrante, do ponto de vista político, o Brasil continua com a mesma mentalidade das capitanias hereditárias, invadindo e destruindo terras do povo nativo (vide ameaças ao povo indígena como a PEC 215). Os índios são muitas vezes considerados um estorvo ao progresso do país, o que evidencia “a existência de uma memória adormecida e insensível na alma de grande parte do povo brasileiro”. A arte pode ser essencial para tocar essa memória, principalmente se esse processo for protagonizado pelos próprios índios.

Anúncios

Uma resposta para “A cultura indígena deslegitimada no teatro brasileiro

  1. Muito bom! É importante destacar questões como esta não para que indígenas (para citar apenas uma dentre tantas minorias marginalizadas) sejam “descartados” em produções, mas para que a referência a eles seja mais do que condizente: seja consciente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s