E o coração falou mais alto: Diego Costa é da Espanha!

Por Alan Felipe, Bruno Cavalcanti, Bruno Oliveira e Marcus Rönn

O Brasil é mundialmente conhecido por sua categoria no futebol. Vários craques já desfilaram em grandes gramados, deslumbrando a todos com muito gingado, classe e habilidade. Entretanto, se engana quem pensa que a categoria do futebol brasileiro está restrita somente à nossa seleção.  No dia 30 de outubro, após ser convocado para atuar na seleção canarinha pela segunda vez, Diego Costa, jogador do Atlético de Madri, da Espanha, optou por recusar a oferta e passar a representar a seleção espanhola, pela qual foi convidado pelo técnico Vicente Del Bosque.

Diego Costa, oficialmente jogador da Espanha (Foto: Site Oficial RFEF)

Diego Costa, oficialmente jogador da Espanha (Foto: Site Oficial RFEF)

Após alguns dias de incertezas sobre que caminho tomar, um anúncio feito pela Real Federação Espanhola de Futebol por meio de seu Twitter oficial, afirmou que Costa assinou um documento no cartório afirmando seu interesse em representar a “Fúria”. Assim, o agora “ex-brasileiro” se colocou a disposição do treinador espanhol para possíveis convocações para amistosos e jogos oficiais.

No dia seguinte ao ser anunciada a sua decisão, Diego Costa publicou um vídeo feito por seu clube justificando o porquê de defender a Espanha e não sua terra natal. Segundo ele o correto é jogar na Espanha “porque aqui ganhei tudo na minha vida. Tudo o que tenho e que me foi dado foi neste país”. Neste ponto temos que concordar com Diego, sem nunca ter jogado profissionalmente em seu país, joga na Espanha há seis anos, tendo passado por outros quatro clubes espanhóis antes de deslanchar pelo Atlético de Madri.

Apesar de ter pedido a compreensão do povo brasileiro, sua atitude não passou batida pela comissão técnica brasileira, que tratou de criticar a posição tomada pelo jogador. O técnico Luiz Felipe Scolari não poupou críticas e afirmou durante seu pronunciamento que “um jogador brasileiro que se recusa a vestir a camisa da Seleção Brasileira e a disputar uma Copa do Mundo no seu país só pode estar automaticamente desconvocado. Ele está dando as costas para um sonho de milhões.”

Apesar desta declaração, ironicamente Felipão já esteve do outro lado da moeda. Quando comandou a seleção portuguesa instruiu jogadores como Deco e Pepe a naturalizarem-se portugueses, deixando pra trás a seleção brasileira. Este não foi o primeiro caso e nem será o último de jogadores brasileiros que trocaram de seleção para representar o país que tenha afinidade e respeito, podemos citar diversos casos como Cacau, que naturalizou-se alemão, Thiago Motta, italiano, Thiago Alcântara, espanhol, entre outros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s